sábado, 16 de setembro de 2017

Observação de aves em Tamanduá, Marques de Souza.

Olá observadores!

Grupo que participou da saída
Foto de Gabriela Santos

         03 de setembro de 2017

       Tentando manter o revezamento de uma saída por mês em cada região, seguimos dando sequência a isso, observando agora no Vale do Taquari, município escolhido desta vez foi Marques de Souza, no distrito de Tamanduá. Local este com encostas montanhosas de vegetação com vários estágios de regeneração, as margens do arroio que leva o mesmo nome.
       Chegamos  ao nascer do sol, por volta das 6:30 horas, onde já nos aguardava o pessoal vindo de Arroio do Meio, Morci, Astor e Tiago, esse último participando pela primeira vez de nossas saídas. Seja bem vindo! Juntando-se a eles  no local eu, meu irmão André, Cleberton e minha mulher Gabriela.                                                                                                                                                             Ao mesmo tempo em que dávamos  boas vindas ao novo integrante escutávamos a bicharada que já estava bem ativa. Várias espécies vocalizavam, dentre elas o Platyrinchus mystaceus  ( Patinho), Myiopagis viricata ( Guaracava de Crista Alaranjada), Chamaeza campanisona ( Tovaca Campanhia), a recém avistada na região Chamaeza ruficauda ( Tovaca de Rabo Vermelho) entre outras. Os primeiros minutos já nos davam uma dica de como seria a manhã, onde os ouvidos seriam nossa principal ferramenta de reconhecimento de espécies. Com o passar dos minutos, a claridade ia aumentando, junto com ela a esperança de alguns registros fotográficos. Como todo passarinheiro bem sabe, fotografar em meio a mata não é tão fácil assim, a falta de luz e o ambiente não colaboram.
        Seguimos pela estrada geral por alguns metros , observando algumas espécies que por ali se apresentavam como Tachyphonus coronatus ( Tiê Preto), Turdus albicollis  ( Sabiá Coleira), Schiffornis virescens  (Flautim), entre uma ave e outra que mais se escutava do que enxergava, aguçando ainda mais nossa audição,  foi quando ao longe se escutou o tão aguardado novo registro para o Vale do Taquari,  com registro apenas  para o Vale do Rio Pardo e se sabia da possível ocorrência na região, o que era questão de tempo. Grallaria varia ( Tovacuçú)! Alegria imensa entre o grupo, mas sabíamos que um registro fotográfico seria quase impossível, mas o sonoro não. Ledo engano, o equipamento de gravação estava com a bateria descarregada.



Guaracava de Crista Alaranjada
Foto Alexandre Picoli

Flautim
Foto Alexandre Picoli

      Voltamos então ao local de nossa chegada, e nos encaminhamos para o início da trilha ( estrada abandonada de uma antiga moradia), seguimos sob mata fechada até  chegar a uma antiga propriedade. Onde um   Lochmias nematura ( João Porca) vocalizava  a beira de um riacho,  Euphonia chalybea (Cais Cais) e o  Pyrrhocoma ruficeps   (Cabecinha Castanha) deram o ar da graça, um  Heliobletus contaminatus (Trepadorzinho) pulava de galho em galho em uma Pitangueira, isso nos deixou bem alegres, outra espécie observada pela primeira vez no Vale do Taquari. A estrada na sequência apresentava em suas margens mata em regeneração com muita capoeira o que se estendeu por centenas de metros onde várias espécies de aves que apreciam este tipo de ambiente, Synallaxis ruficapilla  ( Pichororé), Poecilotriccus plumbeiceps (Tororó), Comptostoma obsoletum (Risadinha),   Drymophila malura ( Choquinha Carijó).
      
Cabecinha Castanha
Foto de Morci  Schmidt
            

Limpa Folha de Testa Baia
Foto de Morci Schmidt

     Chegamos então a outra parte com um pouco mais de mata, onde o Astor e o Morci já observavam um casal de Leptopogon amaurocephalus  (Cabeçudo) supostamente em plena construção de ninho, estavam colhendo material para tal. Neste mesmo local encontramos um único indivíduo  de Turdus Flavipes  (Sabiá Una) macho, espécie que foi avistada a não muito tempo atrás pela primeira vez na região. Um pouco mais a frente o Cleberton apanhava de um Scytalopus speluncae  (Tapaculo Preto). Como já se passava da metade da manhã decidimos então retornar.                 
                                                            Cabeçudo                                                                                                            
    Foto de Alexandre Picoli                               
     

Pula Pula Assobiador
Foto Alexandre Picoli



Sabiá Una
Foto Alexandre Picoli
     No retorno pela mesma trilha outras espécies foram escutadas, Cyanoloxia  brissonii (Azulão),  Lathrotriccus euleri ( Enferrujado), Batara cinerea (Matracão), Mackenziaena leachii ( Borralhara Assobiadora) e para alegria de todos um casal de Ouriço resolveu fazer pose para todos do grupo e nos permitiu fazer fotos.

 
Ouriço    
          A manhã foi bem agradável, apesar de pouco tempo de observação, teve uma boa quantidade de espécies registradas, que pode ser vista aqui. Os destaques foram o casal de Trepadorzinho e o Tovacuçu, este último escutado em, no mínimo, dois locais diferentes, que foram acrescentados a lista do Vale do Taquari.  Além de tudo isso o mais importante, aquele momento de contato intenso com a natureza e suas belezas, o que nos deixou de baterias carregadas para aguentar uma semana de trabalho que logo se iniciaria. Fico por aqui, espero que tenham gostado do relato. 
             
          Até mais!

Um comentário: